Compromisso RIF Identity para possibilitar identidades com soberania própria

Por Milton Berman, RIF Identity PO
5 de junho de 2020

É cada vez mais difícil manter a privacidade digital no mundo moderno, onde, com frequência, você e seus dados são o produto dos chamados serviços gratuitos da internet. Ao longo de nossas vidas, observamos o aumento da vigilância pública e privada sob o pretexto de medidas contra o terrorismo, segurança pública e, mais recentemente, uma pandemia global. A Covid-19 foi a justificativa encontrada por diferentes governos para aumentar a vigilância em massa de seus cidadãos por meio do uso de drones e de câmeras de CFTV, enquanto outras nações usaram transações de cartão de crédito para perscrutar sua população. Mas como exatamente os governos usam estes dados e os mantêm protegidos? Algo que podemos aprender com a história é que ‘medidas de vigilâncias supostamente excepcionais’ tendem a se perpetuar.

Entretanto, há alternativas. Por exemplo, o David19 é um projeto em parceria com a IOVlabs que coleta dados sobre a Covid-19 sem comprometer os dados dos voluntários. Isso é fundamental para assegurar seu controle sobre informações pessoais e a possibilidade de mantê-las protegidas. Em outras palavras, vamos garantir que a soberania própria de sua identidade permaneça intacta.

A intenção principal da identidade com soberania própria é capacitar pessoas com ferramentas que controlem suas interações digitais e recuperem sua privacidade em ambientes digitais. Nossos dados, interações e reputação não podem ficar presos em silos como os bancos de dados de Amazon e Uber, tampouco devem ser compartilhados com terceiros sem autorização, como é sabido que o Facebook faz. O conceito de identidade com soberania própria diz respeito a descentralizar esses silos e tornar o sistema centrado no humano: somente você pode controlar seus dados, movimentando estes dados entre os diferentes serviços conforme achar adequado. Assim, podemos prevenir um número significativo de vazamentos de dados, bem como a venda de dados pessoais, ou, pelo menos, tornar mais difícil e improvável que isso ocorra.

A identidade com soberania própria é uma solução para todo o mundo digital, não apenas para usuários das criptomoedas. Esta camada de identidade descentralizada dá às pessoas a possibilidade de apresentarem informações verificáveis sobre elas mesmas sem perder a privacidade; hoje, ao aceitar os termos e condições da maioria dos serviços de internet, você basicamente abre mão de seu direito à privacidade. Agora mesmo, seus dados estão sendo controlados por alguém. A identidade com soberania própria chegou para mudar essa realidade.

No passado, muitas pessoas e empresas buscaram construir esta camada de identidade com boas intenções, mas ficou provado que era muito difícil atingir este objetivo sem que houvesse censura e problemas de privacidade, já que sempre dependeram de autoridades centralizadas capazes de negar permissões ou se tornar, sem querer, um ponto único de falha. É aí que entra a tecnologia blockchain. Em se falando de identidades com soberania própria, a blockchain corresponde a só 5–10% da tecnologia por trás do modelo, mas ela é crucial, pois prescinde de uma autoridade central, possibilitando um sistema que não exige permissões enquanto se mantém confiável. A blockchain é o elo fundamental que faltava nas antigas camadas de identidade, melhorando e estabelecendo um novo padrão para camadas de identidade digital.

Como o RIF Identity possibilitará as identidades com soberania própria

RIF Identity é a camada de identidade e reputação para serviços RIF, bem como um componente crucial para economias de compartilhamento descentralizadas e redes sociais. Permite que as pessoas compartilhem informações sobre elas com outras pessoas ou serviços se e quando quiserem. No RIF Identity, tais informações serão verificáveis e confiáveis, compatíveis com normas de credenciais verificáveis e identificadores descentralizados da W3C.

Funcionando desde 2018, o RIF Name Service (RNS) resolveu um problema geral enfrentado por usuários de criptomoedas ao criar domínios humanamente legíveis. Em vez de usar diversos endereços de blockchain complicados compostos por longas cadeias de letras, números e caracteres difíceis de lembrar e fáceis de errar, tornou-se possível utilizar um domínio capaz de se associar e esses endereços. Isto é muito mais fácil do que usar endereços de blockchain e é um passo fundamental para estimular uma adoção mais rápida da criptomoeda, simplificando o processo e o tornando mais acessível a um público leigo.

O RNS também vai identificar prestadores de serviços e consumidores em mercados descentralizados, além de endereços de armazenamento e comunicação. Desenvolvedores de dApps podem integrar o RNS na forma de mecanismo para autenticação de identidade descentralizada.

Porém, o RIF Identity vai além do RNS, construindo todas as ferramentas necessárias para que você retome o controle de sua identidade e reputação digitais. O serviço promove a interoperabilidade de blockchain a cada etapa, trabalhando de perto com projetos semelhantes, incluindo o uPort, focado em Ethereum.

Casos de uso da identidade com soberania própria

Um dos maiores desafios na adoção em massa de tais soluções é fazer com que as pessoas entendam o que realmente são identidades com soberania própria e qual sua utilidade. Uma das melhores formas de lidar com isso é por meio de casos de uso prático, tais como aqueles aos quais o RIF presta suporte com seus produtos.

Por exemplo, a ONG Bitcoin Argentina tem um projeto chamado DIDI, Identidade digital para inclusão, em parceria com a IOVlabs, entre outros. Juntos, estamos desenvolvendo um produto de identidade com soberania própria que atua junto a pessoas de bairros em situação de vulnerabilidade, sem acesso a contas bancárias ou instituições formais tradicionais. Elas estão começando a criar sua reputação a partir de interações financeiras (e não financeiras) informais cotidianas usando credenciais verificáveis nesta camada de identidades digitais descentralizadas. A solução também incorpora outro serviço RIF, o RIF Storage, descentralizado e resistente à censura.

Estamos falando de um caso de uso particularmente interessante, já que podemos ver exatamente como a tecnologia pode incluir pessoas no sistema financeiro e lhes possibilitar acesso a serviços melhores, graças às credenciais e reputação verificáveis que criam. Torna-se possível demonstrar como a identidade com soberania própria é útil, nesse caso em particular para pessoas que não têm acesso ao sistema bancário, bem como ajuda na conscientização e compreensão.

É possível encontrar um vídeo curto sobre o projeto aqui e visitar o site do DIDI aqui.

Em breve, a mídia social número um entre falantes de espanhol, Taringa!, vai ser integrada ao RIF Identity para seus 30 milhões de usuários. Isso vai acontecer por meio de um conceito para desenvolvedores que lhes permitirá dispor de uma biblioteca simples a ser adicionada a seus apps e sites, além de adicionar um popup para inscrição/início de sessão. Então, eles poderão escolher sua carteira de criptomoedas predileta na hora de criar uma conta. A vantagem do conceito de sign-on único é que os usuários vão poder estabelecer uma interface com ele em diferentes plataformas com exatamente a mesma experiência de usuário. Para desenvolvedores, também será possível simplificar o processo de integração de seus novos usuários.

A adoção em massa de soluções de identidade com soberania própria ainda vai demorar, principalmente considerando que os primeiros casos de uso só estão sendo desenvolvidos e testados agora. Se os primeiros projetos de SSI (sign-on único) cumprirem o que prometem, acho que veremos um crescimento tangível real desta tecnologia nos próximos anos. Se mais pessoas se conscientizarem da natureza injusta da atual vigilância em massa e violações de dados perpetradas pelas corporações, a adoção pode acontecer até mais rapidamente. Mais do que nunca, a identidade com soberania própria é necessária em uma economia cada vez mais regulada pelas gigantes do setor de tecnologia, com empresas que não ligam para a privacidade e governos que adotam medidas excepcionais de vigilância em massa.

Realmente acreditamos que a identidade com soberania própria é um componente fundamental da internet descentralizada e que o RIF Identity está comprometido em colocá-la nas mãos dos desenvolvedores e, o mais importante, nas mãos das pessoas.

Em breve, mais notícias sobre o roteiro do RIF Identity e futuros desenvolvimentos. Desenvolvedores: visitem nosso Github e Devportal para mais informações!

Follow our news!